Eu sei..

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Que tem gente em situação muito pior que a minha. Sei que tem gente que a maioria das vezes não tem o que comer, não tem um canto para dormir e nem mesmo uma água para beber. Mas também sei que esse sentimento de conformismo nunca fez e jamais fará a minha cabeça. Acho bem escroto aquele pensamento comodista de opa, eu estou na merda, mas Fulano está na merda e meia, então vamos seguir.


Não. Não quero pensar que as coisas ainda não estão no fundo do poço porque tem alguém em situação pior que a minha. Quero e devo pensar que EU estou no fundo do poço, até porque sei que mereço e devo ter mais.


E terei.


;)

Eu tenho..

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Uma enorme dificuldade em pedir ajuda. Na teoria, eu sei que seria bem mais fácil chegar para alguém, falar do que preciso e pedir. Simples assim. 
Mas na prática as coisas não são assim. Eu não consigo me abrir, expor meus problemas e admitir que fracassei quando deveria e poderia ter triunfado.
Conto nos dedos da mão esquerda (ou seria direita?) do Lula as raras vezes em que fiz isso.


Quem me conhece, sabe que, se eu parar para pedir ajuda, é porque a coisa está feia, mesmo. Muito feia.


Desde o mês de Agosto que eu venho tentando ordenar minhas ideias. Venho tentando fazer a coisa certa, quando nem eu mesmo sei o que é certo. De repente, a vida me levou o meu pilar de sustentação e eu me vi sozinha. Até ontem, digamos assim, eu não fazia nada. Era uma princesa com seus vários súditos sempre dispostos a servir. Mas aí o rei me deixou e não me preparou ou me disse como seria o mundo lá fora. 
Hoje, lavo, passo, cozinho, cuido de mim (ou o que mais perto disso eu consigo chegar) e tento combater meus medos e frustrações diariamente. Não é fácil, mas eu tento.


Família é importante, eu sei, mas optei por manter-me afastada da minha. Estava me fazendo mal. Me entristecendo. E de tristezas, eu ando cheia. Obrigada.


Toda essa longa introdução, foi apenas para dizer que, três semanas atrás, eu me despi de qualquer orgulho ou neura, e resolvi pedir ajuda para um primo, que no momento achei que seria o único capaz de me ajudar.
Ele atendeu e disse que na semana seguinte meu pedido seria atendido. Já se passarem três semanas e ele sempre diz: semana que vem.
Cansei.


Não tocarei mais no assunto. Deixarei morrer, assim como deixei o meu orgulho, quando o procurei. Aos poucos e a duras penas, estou aprendendo que quem se importa comigo sou eu mesmo.


E depois ainda perguntam porque sou desse jeito.

Alguém falou..

domingo, 29 de janeiro de 2012

Em algum momento que a vida seria fácil. Era só uma questão de dedicação. Não sei quem foi o filho de uma égua, mas queria ter o prazer de ao menos quebrar a cara dele. 


Nos últimos meses o que mais tenho feito é me dedicar. Me dedicar a coisas que eu nem sei o que, mas tenho me dedicado. Só que as coisas não estão acontecendo e eu preciso sobreviver. 


Como é mesmo que se sustenta e administra uma casa, quando mal se paga as contas básicas? Quem souber, me avisa, porque eu preciso da resposta para quatro meses atrás.


Grata!

Era uma vez..

Um rei, uma rainha e uma princesa. Todos viviam bem e felizes em um lindo castelo no mais lindo vale da região.
Um dia, uma desconhecida doença deixou a rainha de cama e após alguns dias, a levou deste mundo.


O rei, sofrendo de tristeza e solidão, não suportou a saudade e foi ao encontro da sua amada no além, deixando a pobre princesa sozinha, sem eira e nem beira.


Como em um toque de mágica, a princesa se viu obrigada a crescer de uma hora para outra e percebeu que esse mundo de gente grande e com responsabilidades pode até ser encantador, mas é deveras assustador e angustiante. 


De tanta aflição que sentiu, a princesa resolveu criar um blog e dividir as dores e as delícias de ter uma vida sem conto de fadas. 






Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!